Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Grandella e a Ribeira de Alcântara

Grandella e a Ribeira de Alcântara, não é uma associação comum. Ao falarmos de Francisco de Almeida Grandella, lembramo-nos de imediato ou dos "Armazens Grandella", ou do "Bairro Grandella", mas raramente nos lembramos da fábrica de fiação que fornecia os armazéns, e que foi o impulsionador da criação do bairro operário Grandella.
O que tem então a Ribeira de Alcântara a ver com Grandela, pois é o que vamos ver de seguida. Com a necessidade de expandir a fábrica que se situava nos terrenos que possuía junto à Estrada de Benfica, obteve Francisco de Almeida Grandella, autorização da Camâra Municipal de Lisboa para "ampliar uma parte de cobertura da ribeira de Alcântara, junto á sua fábrica".
Esta cobertura da Ribeira de Alcântara, não sendo a primeira (em 1888 foi quando se cobriu o caneiro de Alcântara para assentamento da via férrea que ligava a linha de Alcântara-terra a Campolide), foi uma das primeiras etapas por que passou esta Ribeira, até à conclusão da sua cobertura total em 1967.

Bairro Grandella.jpg

Bairro Grandella, foto de Alexandre Cunha, in a.f. C.M.L.

Autorização a Francisco de Almeida Grandella par

Autorização a Francisco de Almeida Grandella para ampliar a sua fábrica sita na Avenida Barjona de Freitas, 1905, in A.M.L.

Autorização a Francisco de Almeida Grandella par

Autorização a Francisco de Almeida Grandella para ampliar a sua fábrica sita na Avenida Barjona de Freitas, 1911, in A.M.L.

Projecto de canalização da Ribeira de Alcântara

Projecto de canalização da Ribeira de Alcântara - entre Campolide e a travessa de S. Domingos de Benfica, 1951-1955, in A.M.L. A zona da Ribeira correspondente à Fábrica Grandella, já estava toda coberta, nesta data.

Projecto de canalização da Ribeira de Alcântara

 Projecto de canalização da Ribeira de Alcântara - entre Campolide e a travessa de S. Domingos de Benfica, 1951-1955, in A.M.L.

15129552_402885326768164_6740245167757694495_o.jpg

Lápide comemorativa da conclusão da cobertura da Ribeira de Alcântara, 5 Janeiro de 1968, foto de Armando Serôdio, in a.f. C.M.L.

Vilas operárias de Lisboa

"No Roteiro de Lisboa do Anuário Geral de Portugal, edição de 1979, estão contabilizadas 350 vilas, o que dá ideia da importância destes aglomerados no conjunto da cidade.

As camadas mais desfavorecidas da população lisboeta viam-se, na contingência de terem de sofrer condições de alojamento deprimentes, albergadas em palácios arruinados ou conventos desafectados e a maioria das vezes em pátios insalubres. Foi aí que a iniciativa privada começou a interessar-se pela situação, com a construção de vilas operárias, onde as condições não seriam tão miseráveis e que dariam, provavelmente, bons lucros aos investidores.
Das vilas formando ruas, as mais significativas são a Vila Dias, junto a Xabregas, construída em 1888 ao longo da linha de caminho de ferro, e a Vila Berta, à Graça. Construída por Diamantino Tojal em 1902, trata-se de um conjunto interclassista, com edifícios para diferentes estratos sociais e de grande apuro formal, em que também é notável o recurso a estruturas metálicas e a rica decoração em azulejos.

Noutros casos, como parece ser o do Bairro Grandella, a construção de habitações para o pessoal poderia inscrever-se numa atitude de tipo paternalista por parte dos empresários, promovendo imagens como a «grande família» e a «dignificação do trabalho» e não deixando certamente de funcionar como instrumento de controle e de pressão sobre os assalariados. É notório neste último caso o extremo cuidado do arranjo, a qualidade do desenho e também a diversificação das tipologias, reproduzindo naturalmente a hierarquia no trabalho no local de habitação."
in "Pátios e vilas de Lisboa, 1870-1930: a promoção privada do alojamento operário" de Nuno Teotónio Pereira

Bairro Grandela a c l.jpg

Bairro Grandella, foto de Alberto Carlos Lima, in a.f. C.M.L.

Vila Dias, foto de Alberto Carlos Lima.jpg

Vila Dias, foto de Alberto Carlos Lima, in a.f. C.M.L.

Vila Berta, 1964, foto de Artur Goulart.jpg

Vila Berta, foto de Artur Goulart, in a.f. C.M.L.

Vila Dias.jpg

 Vila Dias, foto de Alberto Carlos Lima, in a.f. C.M.L.

Bairro Grandela, foto Alexandre Cunha.jpg

Bairro Grandela, foto Alexandre Cunha, in a.f. C.M.L.

Mais sobre mim

foto do autor

Calendário

Setembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Pesquisar

 

Visitante

Tradutor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D