Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Teatro do Príncipe Real, Teatro Apolo

"nas lojas do penultimo predio que á sua direita encontrava, antes de chegar á Carreirinha do Soccorro, quem, vindo do lado do Rocio, seguia pela rua Nova da Palma, esteve durante o carnaval de 1864, estabelecido o denominado Salão Vauxhall e n'elle foram dados alguns bailes de mascaras. Aproveitando-se o mesmo local para sala de entrada e botequim, e tomando-se todo o prédio da esquina d'aquellas duas ruas, construiu-se nos fins do mesmo anno um salão para concertos, o qual veio a inaugurar-se em dezembro de 1864 com o nome de Salão Meyerbeer, sendo a festa musical dirigida pelo sr. Arthur Reinnhardt.
Foram porém escassos os lucros obtidos com este estabelecimento, e por isso o sr. Francisco Vianna Ruas, seu emprezario, resolveu transformal o em theatro. Tendo as obras começado em julho do anno immediato, inaugurou-se, no dia 28 do mez de setembro seguinte, o denominado theatro do Principe Real, com a comedia em 3 actos, Dois pobres a uma porta..."
in http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/OBRAS/Ocidente/1884/N189/N189_item1/index.html

Teatro do Príncipe Real, posteriormente Teatro Ap

Teatro do Príncipe Real, posteriormente Teatro Apolo, foto Alexandre Cunha, in a.f. C.M.L.

Obra de prolongamento da rua da Palma, arruamento

Obra de prolongamento da rua da Palma, arruamento junto ao Teatro Apolo, in A.M.L.

Pertencente a Francisco Viana Ruas, é inaugurado em 1866 o Teatro do Príncipe Real, em homenagem ao futuro rei Dom Carlos.
Dois pobres e uma porta, em 3 actos e, Muito padece quem ama são as comédias apresentadas na inauguração.
Em 1906, Palmira Torres é a actriz principal da peça A Severa, de Júlio Dantas.
O regime republicano altera-lhe o nome para Teatro Apolo.
Agulha em Palheiro, primeira revista original após a instauração da República, é aqui representada logo em 1911.
Apesar dos inúmeros sucessos, o teatro foi demolido em 1957.
in http://revelarlx.cm-lisboa.pt/gca/?id=669

N189_0001_branca_t0.jpg

 http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/OBRAS/Ocidente/1884/N189/N189_item1/index.html

Teatro do Príncipe Real, posteriormente Teatro Ap

Teatro do Príncipe Real, posteriormente Teatro Apolo, foto Alberto Carlos Lima, in a.f. C.M.L.

Igreja do Socorro e teatro Apolo, em primeiro plan

Igreja do Socorro e teatro Apolo, foto Joshua Benoliel, in a.f. C.M.L.

Teatro Apolo, interior 2 1957.jpg

Teatro Apolo, interior, 1957, foto Armando Serôdio, in a.f. C.M.L.

Teatro Apolo, interior 1957.jpg

Teatro Apolo, interior,1957,  foto Armando Serôdio, in a.f. C.M.L.

Teatro Apolo, palco, 1957, foto de Armando Serôdi

Teatro Apolo, palco, 1957, foto de Armando Serôdio, in a.f. C.M.L.

hg-16203-1-p_0011_t24-C-R0150.jpg

Planta e preços dos lugares em 1887, "Plantas dos Teatros", in B.N.P.

Mais sobre mim

foto do autor

Calendário

Março 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Pesquisar

 

Visitante

Tradutor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D